Reforma Hoje. Um olhar através dos tempos 1 parte.

reforma hoje
reforma hoje
O texto abaixo é extraído de um artigo, numa cadeira de catecismo do Seminário Concórdia de São Leopoldo RS.

 

Reforma Hoje.

Gene Edward Veith
     Através de quase todo o século XX, a maior questão teológica foi a chamada “Batalha pela Bíblia”.
Começando com o conflito entre modernistas e fundamentalistas, a igreja na América vem sendo agitada por uma divisão.
Entre aqueles que acreditam que os ensinos da Bíblia devam ser julgados de acordo com as mais recentes tendências intelectuais e culturais e aqueles que crêem na inerrância da Escritura.
Ao longo de quase todo o século, teólogos liberais, armados com a metodologia crítico-histórica e o prestígio da classe intelectual, batalharam contra os evangélicos, que insistiam na realidade da inspiração divina e no evangelho sobrenatural.
       Em meio às violências de cismas denominacionais, seminários para expurgo e divisões de igrejas, os modernistas pareciam ganhar a maioria das batalhas.
Contudo, ao apagar das luzes do século, é evidente que, do ponto de vista prático, os evangélicos venceram a guerra.
As denominações protestantes principais, que rejeitaram a autoridade bíblica em favor das várias teologias modernistas, perderam membros e relevância cultural.
Os evangélicos, por outro lado, que continuaram a proclamar o evangelho transformador de Cristo, cresceram tanto em número como em influência.
Embora uma ótica crítica para com a Escritura continue a existir na teologia acadêmica, os evangélicos e católicos dominam a vida religiosa da nação, enquanto as igrejas liberais estão quase fora de campo.
Há uma percepção que precisa ser colocado de novo em foco hoje. Precisamos voltar a reforma e buscar elementos que possamos ancorar as indagações do tempo presente. A reforma hoje é urgente, termos estão sendo perdidos. 
Ref.
 Texto publicado em In BOICE, James (org.) Reforma Hoje. Uma convocação feita pelos evangélicos Confessionais. São Paulo, Editora Cultura Cristã, 1999.
Composição Prof. Clóvis Jair Prunzel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *