Uma resposta insensata

,
Meditação Diária:

Uma resposta insensata

1 Reis 12.1-19
                                                                                           
rei Salomão estava morto. Em seu lugar, assumiu seu filho Roboão.
O pai governava com mão de ferro. Agora, com o novo governo, nasceu a esperança de um novo tempo, mais justo e mais ameno. Por isso, o povo, em assembléia, prometeu fidelidade ao novo rei, se este aliviasse a dura servidão imposta pelo pai.
O filho de Salomão foi aconselhado pelos anciãos para que se colocasse a serviço do povo e o tratasse bem. Ele, porém, desprezando estas idéias, seguiu o conselho dos jovens, endurecendo ainda mais o governo.
Em conseqüência, Roboão perdeu o apoio do povo, ao violar o requisito básico de uma autoridade justa: saber escutar seus súditos. Isto lhe rendeu um governo conflituoso e difícil. Sua insensatez causou revolta. Diante de uma autoridade que não deu ouvidos para sua aflição, o povo se revoltou e o ici, para sobreviver, fugiu em busca de abrigo.
As conseqüências da atitude de Roboão perpas­sam a história até os dias de hoje. A ruptura que ele causou nunca mais foi costurada. Assim, também, acontece em nosso tempo. Nossa palavra dura, nossa forma insensata de governar causam divisões e revoltas que constroem barreiras dificilmente superadas.
A reflexão que nos ocorre é a de que nós também ignoramos os conselhos dos idosos e, impru­dentemente, vamos construindo atalhos a partir de nossa própria visão, sem ética, causando danos a pessoas, grupos e comunidades, com a nossa falta de humildade e dureza de coração. Que possamos avaliar nossas respostas e o resultado de nossas ações.


Oremos:
Senhor, modifica o nosso coração e concede a tua sabedoria para nossas decisões. Que também saibamos ouvir os conselhos sábios e prudentes. Afasta-nos do mal concede-nos conselheiros que nos auxiliem na busca de um inundo de paz e sobriedade. Amém.

by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *