Socorro Divino no pensamento Luterano

Socorro Divino no pensamento Luterano

Socorro Divino no pensamento Luterano
            “- Se precisarem de mim, é só chamar!” Como faz bem ouvir estas palavras quando estamos passando por momentos difíceis. Entretanto, estamos conscientes de que a ajuda oferecida por pessoas amadas, por mais poderosas que sejam, sempre será uma ajuda limitada. Comprovadamente há situações em que nenhum ser humano pode fazer coisa alguma por nós.
            Quando a ajuda humana falhar, não precisamos desesperar; pois, o Pai Celestial está do nosso lado e afirma: “Se me chamarem no dia da aflição, eu os livrarei e vocês me louvarão!” (Sl 50.15).
Esta promessa é feita pelo Senhor Deus todo-poderoso, criador dos céus e da terra. Ele promete e tem todas as condições de cumprir com a promessa feita. Quando Adão e Eva caíram em pecado trazendo a desgraça sobre a raça humana, ele prometeu enviar o Salvador e, por meio da obra de Jesus Cristo, cumpriu esta sua promessa. O apóstolo João assim resume o cumprimento desta promessa: “Porque Deus amou o mundo tanto que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). O Pai celestial sempre vai encontrar uma solução para os nossos momentos de aflição e nos livrará.
            Como é bela esta afirmação: “Se me chamarem no dia da aflição, eu os livrarei e vocês me louvarão!” Isto é um bálsamo para todos os que creem em Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador. Busquemos a companhia do Pai celestial. Ele nos ama, e por amor já nos livrou da maior de todas as aflições – a eterna condenação. Em Jesus Cristo nos é oferecido o perdão de todos os nossos pecados e a certeza da vida eterna. E nossa reação, devido à providência divina, já é descrita pelo próprio Senhor: “…vocês me louvarão”.

Oremos: Obrigado, amado Pai celestial, por estares ao meu lado em todos os momentos da vida. Que eu, movido por teu amor, viva uma vida de louvor ao teu santo nome. Em Cristo. Amém.
Pastor Urbano Lehrer
by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *